UNIDADES CATAVENTO E SOCIOEDUCANDOS SÃO PREMIADOS
Os socioeducandos e unidades Catavento da Cascalheira e Santa Luzia serão premiados por terem participado da 3ª edição do Concurso Literário da Cáritas Brasileira Regional Nordeste 3.
Por Gelson Vieira
27/11/2019 20:45

Nesta sexta-feira (29) os socioeducandos e as unidades Catavento da Cascalheira e Santa Luzia serão premiados por terem participado da 3ª edição do Concurso Literário da Cáritas Brasileira Regional Nordeste 3, que teve como tema “Migrações na atualidade: Chegaram pessoas. O que tenho a ver com isso?” O principal objetivo da concurso foi estimular crianças e adolescentes, de 08 a 15 anos, a pensarem sobre os movimentos migratórios na atualidade e produzirem conteúdos, através das linguagens artísticas: poesias, crônicas, contos e desenhos. Assim, os prêmios serão entregues por Alan Lustosa um dos membros que integra a Coordenação Colegiada da Cáritas Nordeste 3.

As crianças receberão como premio a publicação de suas obras nas versões impressa e digital alem de troféus e brindes. Enquanto que as unidades Catavento III e IV, localizadas respectivamente no bairro Cascalheira e Santa Luzia, serão contempladas com um baú contendo livros de diferentes temáticas que estimularam a cultura da leitura e da escrita. As crianças e adolescentes contemplados foram: Erick Diego da Silva Reis com o desenho “Refugiados” e Raisa Brandão Duarte com a poesia “Sou migrante” (Catavento Santa Luzia); Liliane de Jesus Souza com o desenho “Venezuelanos” e Camilly da Silva Campos com o conto “Em busca de um lar”.

Não foi por acaso que o Catavento Cascalheira e Santa Luzia foram contemplados para participarem do Concurso Literário “Migrações na atualidade: Chegaram pessoas. O que tenho a ver com isso?”. Pois, em momentos distintos os dois bairros foram criados pela força dos braços de seus primeiros moradores, migrantes que chegaram em Barreiras BA a procura de trabalho. Mas, não possuíam um lugar para residirem ou que passaram a morar em lugares insalubres ou sem infraestrutura. A Cascalheira “surgiu” após o poder público municipal de então, que passou a recolher moradores que tinham suas “casas de inchimento” à margem da rodovia federal na saída para Riachão das Neves e, outras famílias que moravam sob barracos feitos de papelões à beira do Rio Grande. Assim, as famílias foram levadas para a parte alta da cidade, próxima à Serra da Bandeira, e ali foram despejadas com seus poucos pertences domésticos num espaço onde se tirava cascalho para a pavimentação de ruas da cidade de Barreiras BA. Enquanto que o bairro Santa Luzia é consequência de uma ocupação de uma fazenda que não cumpria com sua função social. Nesses bairros existe a presença do Centro Social e Educacional Catavento onde convivem crianças e adolescentes, em sua maioria, descendentes dos pioneiros habitantes que experimentaram a condição de descartáveis. E, que ainda esperam que as políticas públicas sejam implementadas em plenitude.

A ação Cáritas em promover o concurso literário “Migrações na atualidade: Chegaram pessoas. O que tenho a ver com isso? Dialoga com o pensamento do Papa Francisco que em homilia nos últimos dias de dezembro de 2016 comentou sobre a importância da cultura do encontro. A fala do Papa Francisco parte do evangelho narrado por Lucas (7:11-17), sobre “o filho da viúva de Naim”: Quando Jesus ao se aproximar da entrada da cidade de Naim se deparou, juntamente com a multidão que o acompanhava, com um enterro do único filho de uma viúva. Então Jesus se aproxima da mãe e a acolhe. Papa Francisco defende a “cultura do encontro” como contraposto à “cultura da exclusão”, do “descartável”, e da “globalização da indiferença”. O mundo experimenta intenso movimento migratório. O Brasil não está fora dessa realidade. Pois, imigrantes e refugiados, que ao chegarem no Brasil se deparam com xenofobia, preconceitos e diversas formas de violências.

O Concurso literário Migrações é uma das maneiras que a Cáritas tem de encorajar as pessoas a refletirem sobre os processos migratórios na atualidade, aproximando imigrantes, refugiados e comunidades que recebem os migrantes, com o objetivo de mudar corações e mentalidades e ampliar o conceito da cultura do encontro e da solidariedade. Nesse sentido, a Rede Cáritas responde, desde 2017, ao apelo do Papa Francisco.

Rua Severino Vieira, 221, Sala 107, Centro, Barreiras-BA. CEP: 47.800-046.
A ONG Dignivida é uma associação sem fins lucrativos e está inscrita no CNPJ sob o número 03.369.254/0001-70.
Copyright © Dignivida. Todos os direitos reservados. Desenvolvido e Mantido por Bit101 - Laboratório de Software.